"Selos Recebidos"

sexta-feira, 25 de junho de 2010

"O Pardal"



Por vezes me sinto assim

Pássaro calado cujo canto teve fim.

Vagueio por veredas desconhecidas

Por campos onde as árvores se fazem adormecidas

O intrépido silêncio que por vezes atordoa

A mente deste pobre pássaro que com o amor sonha

Agora diante do Sol se pondo

Recordo-me o quanto cantei com estrondo

Quis cantar a todos os pássaros, pois este pardal estava amando

No entanto após aquela primavera

O amor me deixara

Restava Tão somente a espera

O ciclo já se fez

E passara primavera outra vez

O amor não retornara

Tal como o canto de outrora

Que não canto mesmo diante da nova primavera.



36 comentários:

  1. E como seria bom se sentir como um pássaro dando asas à imaginação a à vida... A intensidade das emoções depende da liberdade que podemos dar a elas. Emoções presas, que não tem oportunidade de divagar, não serão verdadeiras.
    Adorei os versos e a música... perfeitos!
    Beijos pra ti!

    ResponderExcluir
  2. Também as vezes me sinto assim, o silêncio paira como um pássaro que esqueceu como se faz cantar!
    Belas palavras
    Um abraço
    Ju

    ResponderExcluir
  3. Olhinhos Puxados , vou te proibir de postar aos fins de semana textos assim!kkk
    Cada detalhe desse post é tão intenso q me reconheço em algumas partes dele
    Disse se não me engano ao Angel que vc escreve com a alma e por diversas x me senti nua ao ler-te

    Sei que em breve estará cantando novamente ainda mais forte e belo!!!

    Adoro viu?



    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Mas seu canto não teve fim, não. Com ele continua nos encantando. É apenas mais triste, porque as flores tombaram, e uma nova Primavera...teima em não chegar.
    Poema e música perfeitos!
    BEIJOS Hamilton
    Ternuras
    SEMPRE

    ResponderExcluir
  5. O canto talvez tenha tido fim mas novos ciclos e novas estações ainda virão, com novas descobertas e novas oportunidades e novas poesias. Às vezes é preciso que algo morra dentro de nós ou de nossas vidas para que possamos renascer mais fortes e viver coisas ainda melhores.

    ResponderExcluir
  6. Teve fim esse canto, mas nunca seu canto. Que posso te falar poeta... continue alçando voos cada vez mais altos, que todas essa bagagem te fará cantar novamente, e muito mais forte.

    ResponderExcluir
  7. Caro poeta, Hamilton!

    Não vejo em você esse pássaro comum que encontramos em bandos, como de uniforme...
    Os pardais são lindos, o seu canto encanta,
    mas parecem todos em espelhos.

    Você é pássaro raro que enfeita a primavera
    e canta uma melodia única, cheia de rimas,
    de figuras, onde o eu-lírico grita sem
    desafinar...

    Pássaro raro, que procuram para fotografar,
    para estudar a origem e o seu jeito de ser.

    Outras primaveras virão, e junto delas outros
    pássaros que reconhecerão em seu canto a beleza da sua poesia.

    Um grande abraço!
    Chris Amag

    Belo poema!

    Chris Amag

    ResponderExcluir
  8. O canto está interrompido por um breve momento!
    E a primavera te trará um novo amor, que te fará cantar ainda mais! Acredite.
    Abração meu amigo e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  9. Linda poesia, Hamilton. Boa noite ;)

    ResponderExcluir
  10. Lindo, lindo!

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  11. na verdade..eu mesma me acordei...tipo...meu celular ta muito doido, quando eu desligo ele, e o ligo de novo ele adianta uma hora...e eu sempre esqueço...
    ........................
    sobre seu texto...sempre me sinto como o passaro...isso por vezes me deprime...
    mas é assim mesmo> é a magia da existência não é mesmo?!
    linda a foto q você pos tbm...
    bjos

    ResponderExcluir
  12. Aa perfeito!
    As vezes eu tembém me sinto assim, como um passaro que perde o seu canto~~
    bjs

    ResponderExcluir
  13. O ciclo sempre se completa mesmo quando a falhas no caminho, paz.
    Que os pássaros possam voar...beijo Lisette

    ResponderExcluir
  14. calma que ele vai retornar, aproveite as flores da primavera.

    ResponderExcluir
  15. A cada novo canto,novas melodias,
    A cada ciclo, a possibilidade de renovação,
    A cada primavera, novas flores e cores...esperança!

    Parabéns pelo espaço aconchegante e inspirador.
    Conquistou mais uma fiel seguidora.

    Bjo grande e novas primaveras.

    ResponderExcluir
  16. Meu amigo!

    Se o ciclo ja se fez,ha de se abrir uma nova porta com um sol mais brilhante!

    Por vezes tambem me sinto assim:recolhida em meu canto,como um passaro calado em seu galho!Mas quando me lembro que o canto tem voz e que a voz tem vida e que sem vida nao posso viver entao volto a cantar...
    E aqui nesse canto,me encanto com seus lindos poemas!

    PS:Nao tenho podido digitar com frequencia mas sempre venho aqui te ler e amo tudo.

    Beijos de sua fã!

    ResponderExcluir
  17. O que teus lábios não proferem por falta de um sentimento, tuas mãos relatam com maestria meu lindo.

    Bjinhos da Mila Hamilton.

    ResponderExcluir
  18. Tem toda razão Luciana P, por isso é importante que nossas emoções sejam sempre livres a voar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Como disse uma vez em seu versos Juliana, por vezes o silêncio se faz importante para o futuro enxergar...

    Beijos e obrigado sempre!

    ResponderExcluir
  20. Infelizmente Beta, não como impedir que o pensamente se faça surgir, e assim no escrever colocar as palavras que desejo proverir...

    Beijos linda e obrigado sempre.

    ResponderExcluir
  21. Margarida, fico muito feliz em saber que de certa forma o canto permanece em escritos.
    E espero que o canto retorne e assim faça novamente os dias brilhar...

    Beijos linda e obrigado!

    ResponderExcluir
  22. Assim espero Desabafando, que o findar de um ciclo, faça-se um novo então!
    Em que novo amor renasça e que este venha para ficar!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Assim espero Victor, que todo este pesar se torne bagagem a fim de promover canto maior e infindável enfim.

    Abraços amigo!

    ResponderExcluir
  24. Chris Amag, que dizer de seu escrito, se não minha admiração em ler.

    Assim espero ser o pássaro que belamente descreveu.
    E que enfim me encontrem para que o canto tenha novamente vida.

    Beijos e obrigado!

    ResponderExcluir
  25. Assim espero Alexandre, mas que tal amor não tome muito tempo, pois o frio do inverno não me traz alento algum!

    Abraços e obrigado amigo!

    ResponderExcluir
  26. Suziley, meu muito obrigado sempre querida amiga.

    Beijos e boa noite nesta noite também.

    ResponderExcluir
  27. Entendi Tiabetok, mas que coisa né, logo às 5h rsrs

    E tem razão a magia da existência nos faz assim, cantar muito por vezes e outra nos silenciar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Pois é Gabriela, tomara um dia poder cantar novamente!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  29. Pois é Lisette, os ciclos realmente se findam.
    E que os pássaros mesmo em silêncio, jamais deixem de voar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  30. Endim Mawess, que a calma então esteja a me acompanhar amigo!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  31. Obrigado Diva Lali, e seja muito bem vinda!

    Então com suas palavras, passemos a acreditar que o significado não seja fim. Mas sim um recomeço.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  32. Lu Nogfer, é bem verdade que o canto transmite vida e que precisamos dele para nos sentirmos vivos.

    Obrigado pelos elogios, e espero que seja qual for o problema que ele se vá e não volte.

    Beijos e muito obrigado!

    ResponderExcluir
  33. Mila querida, espero que os lábios voltem logo a proferir, mas que as mãos jamais deixem de relatar.

    Muito obrigado.

    Beijos de Hamilton para Mila querida.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Web Analytics