"Selos Recebidos"

terça-feira, 23 de julho de 2013

" Fascinação"




Fascinação

O deslumbre involuntário
O extasiar quase temerário
Um momento de hipnose
Quase que uma metamorfose

Uma transformação incompreendida
Uma sensação inexplicável e tão desmedida
Onde o tempo parece estagnar
E  a sensação se transborda ante o próprio olhar

Fascinação

Quem um dia já não se curvou a ela?
Quem nestes dias não sente a falta dela?
Aquele que um dia fora criança
Lembra e à saúda com esperança

De um dia, quem sabe poder novamente a ter
De poder novamente, com olhar inocente a ver
Crer, crescer por fim renascer

Fascinação

Pobre do homem que dela se esqueceu

Cresceu, por fim sem fascinar morreu

H²K

"Uma fração de segundos que dura uma eternidade..."
Fascinação



quinta-feira, 18 de julho de 2013

" Das armas que possuo"


Na selva de pedra onde alguns caçam
Sou inútil por não possuir armas que o façam
Sou feito olheiro em meio às brumas
Mero telespectador ali meio às escuras

Observador de olhares ocultos
Tento laçar os pensamentos desnudos
E novamente inutilmente
Pois na vida não aprendi a ler mentes

Observador que sou
Cabe a mim o que de tudo restou
A lembrança de um olhar passageiro
Que faço regresso e o relembro ligeiro

Das armas que tenho
São elas, as palavras que curam meu anseio
Um lápis e um papel
As armas que eternizam um sentimento fiel

H²K


segunda-feira, 15 de julho de 2013

"Sou..."



Sou passado, e também presente
Marcas e cicatrizes vezes eloquentes
Histórias há muito esquecidas
Outras por vezes lembrada

Sou verso que já fora escrito
Poema que já fora esquecido
Sou aresta já amputada
Fui também desejo de alma podada

Sou lembrança d’algum amor
Igualmente marca d’alguma dor
Enfim, sou um tronco marcado
Que em seu caule marca o passado

Mas mesmo assim, o céu se faz limite

Tais marcas doídas no passado
Hoje armaduras deste legado

E se o ar ainda a mim alimenta
É por ter alma quão mais sedenta

O Futuro apenas a Deus pertence

E nos prova de que nem passado sequer presente
Apagam d’alma sua sedenta sede


Sou passado, e hoje presente

Quanto ao futuro...

Que se faça ainda mais eloquente

 H²K


quarta-feira, 5 de junho de 2013

"Por fim"





E por fim...

Que me remoa por dentro
Que me desfaleça por inteiro

É de um passado a que recordo
Uma passagem a qual retorno

Sou nada enfim,
Se não aprendiz de querubins

Sou nada, se não...

Uma estória de um passado
Um capítulo já rasgado

Mas é nesta página!
Já a muito rasgada

Que encontro certa paz morna!

Quem dirá talvez, 

O silêncio que este peito adorna....




LinkWithin

Web Analytics