"Selos Recebidos"

quarta-feira, 16 de junho de 2010

"Infância"


Seria bom apagar a memória e trazer de volta a mente inocente da infância.
Seria bom acordar pela manhã sem som a me despertar e apenas o Sol a iluminar.
Não se fazem mais crianças como se fazia antigamente, não as vejo brincar nas ruas de brincadeiras inocentes.
Todas parecem ter infância roubada, esquecida e dilacerada.
Lembro-me da amarelinha, de pular corda.
Bater a bolinha de tênis no jogo chamado de taco.
Lembro de vôlei com rede imaginária
Lembro de esconde-esconde que começava quando o dia terminava.
Tantas brincadeiras, tantos brinquedos baratos.
Bastava-me um punhado de bolinhas de gude e algumas figurinhas para o bafo-bafo.
Lembro de minha predileta a bola de aço, pesada, mas que fazia grande estrago.
Hoje, vejo e me entristeço com tanta infância esquecida, perdida em tenra idade.
Que desconhece o joelho ralado, ou o dedo machucado.
Mesmo os desenhos animados, antes alimentavam sonhos, e que hoje alimentam violência.
Quanta valeu a infância, mas no hoje não passa de mera lembrança.
Nem mesmo se aprende a falar e já se tem consigo algum eletrônico a lhe acompanhar.
Se dermos um barbante e um pião a uma criança já crescida, vai nos perguntar para que serve logo em seguida.
Oh infância perdida, valores deixados em algum baú da vida.
Pergunto-me hoje diante das dores que o amor me trouxe.
Se o adolescente de amanhã vai conhecer a cadência do coração diante de um primeiro amor.
Se sonhara como sonhei na adolescência coisas bobas como dançar no baile da festa Junina ao lado da pequena menina tão querida.
A infância esta já há algum tempo esquecida, os valores estão cada vez mais sendo deixados.
Sinto pena da criança que hoje cresce sem ao menos saber que febre faz parte do resfriado.
E o resfriado fora criado de tanto suar e brincar na rua ainda à noite depois de um dia ensolarado.


23 comentários:

  1. Perfeito poema em tom de reflexão!

    Concordo contigo.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Olá Hamilton
    O tempo muda os conceitos e os valores, por mais que isso possa nos incomodar, temos que tentar nos adaptarmos, senão sofreremos muito.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Apesar de todas as dificuldades que tive que enfrentar na infância, algumas cenas inocentes n me sai da mente
    Post Fofinho !Música que eu simplesmente adorooo

    Beijos

    Ps: DA VIDA A MI , VAI?hehe

    ResponderExcluir
  4. Sempre adorei a turma da Mónica! E é verdade, criança agora não brinca mais como dantes, nem valoriza coisas simples por que já tem tudo e sempre lhe dão mais...e sim é verdade, ás vezes era bom "retomar a mente inocente da infância", quando tudo parecia simples de resolver e um arranhão, ou uma boneca estragada eram as únicas coisas que nos faziam chorar...
    Achei seu texto muiiito bonito!
    Ternuras

    ResponderExcluir
  5. A Margarida falou uma coisa muito importante... "nem valoriza coisas simples por que já tem tudo e sempre lhe dão mais...". Será que a infância perdida de antes, não tem a influência dos pais? Texto lindoooo! De muita reflexão, queria eu resgatar a inocência daquela época. Bjos no coração!

    ResponderExcluir
  6. Corzinhaaaaaaaaaaaaaaaaa na Miiiiiiii!!!
    ♥♥♥
    Bom menino vc! :)

    Ps: kem vir isso não vai entender nada! rsrsrsrs
    Papo de Louco! hehehhe

    ResponderExcluir
  7. Puxa vida... No túnel do tempo!
    Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  8. Lívia, muito obrigado!
    Sempre presente!! Prestigiando o espaço com suas palavras...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Esta correto Wanderley, precisamos nos adaptar.
    Mas seria bom se alguns valores pudessem retornar.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Beta, inevitavelmente teremos em eterno as lembranças.
    Foram e continuam sendo alimento para nossas vidas.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. lolipop, obrigado por sempre estar aqui!
    Quem dera pudessemos mergulhar no passado para curar algumas dores do presente né?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. É bem verdade mesmo Rê, por vezes é dado tanto que o pouco não importa mais, e assim se perde os valores de outros tempos tão bem quistos.
    Pode ser sim, parte da perda pelos pais, que o que não tiveram querem que os filhos possam ter.

    Beijos e obrigado!

    ResponderExcluir
  13. É Victor Zanata, quem dera pudéssemos de vez enquando adentrar ao túnel e encontrar tudo de novo.

    Obrigado!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Hamilton

    Ah que saudades desta infância tão querida.
    Vc colocou em versos os nossos sentimentos e a verdade sobre a atual realidade de nossas crianças e adolescentes. Estes sim têm a infância perdida.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  15. Seu texto trouxe a minha mente muitas lembranças boas de infância, brincar na rua, subir em árvore, fazer piqueniques e andar de bicicleta sem hora pra voltar pra casa. Infelizmente a infância atual perdeu boa parte da simplicidade.

    ResponderExcluir
  16. Realmente a vida mudou e nos tirou certa alegria da convivência da rua, mas enfim se aprende diferente, mas nunca se deixa de ser criança, paz.
    Beijo Lisette

    ResponderExcluir
  17. Belíssimo escrever, Hamilton!! Ser criança, como outrora, era um verdadeiro céu de brigadeiro. De brigadeiro mesmo (o doce)...hehehe!! Adorei o seu texto. Palavras que tocaram o meu coração, o meu ser. Obrigada querido amigo :)

    ResponderExcluir
  18. E como é bom relembrar momentos assim uma falta de ser criança de corpo e alma! Talvez isso deva ficar apenas na lembrança, lembrança boa demais!
    Um abraço
    Ju

    ResponderExcluir
  19. Nilce, é bem verdade estes novos adolescentes perdem muito e nem fazem idéia do que deixam para trás.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Disse tudo Desabafando, a simplicidade que de tão simples fora esquecida.
    O próprio sabor da vida esta na forma simples de vive-la...

    Beijos e obrigado!

    ResponderExcluir
  21. De fato Lisette, daqui a alguns anos poderemos ler o que nos contam de suas infâncias.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Suziley, que céu gostos esse heim!! Fico muito feliz por ter gostado.
    Espero que sempre seja assim, pois sempre adoro o que posta.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. E põe boa nisso né Juliana, estas lembranças jamais se apagam.
    E contaremos também aos netos.

    Beijos

    ResponderExcluir

LinkWithin

Web Analytics