"Selos Recebidos"

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

"O Amor feito Roda Gigante"


Estava navegando entre pastas do computador, e encontrei alguns escritos.
Os quais não tenho certeza se foram postados, contudo conto com a ajuda de todos, para me dizer se já estivera aqui tal escrito.
Pela data do documento fora escrito em meados de Julho.
Beijos e Abraços e agradeço por não terem abandonado este espaço.



Sou assim, uma mescla de sentidos incessantes
Uma imensa roda gigante que não cessa e somente segue adiante.
Sou assim sofrimento e felicidade
Sofro mais por crer em meu semelhante

Distancio-me com pesar, mesmo querendo ficar
Por vezes os pensamentos não encontram seu lugar
Assim nada mais resta se não em minha solidão divagar

Quero acreditar que amar é mera fantasia
Que o destino inexista e que a coincidência apenas, persista
Que a paixão arrebata, mas logo se apaga
Que a parceira um dia nos deixa e nem tudo se acaba

Que caminhar no vale é mais seguro
Mesmo não tendo a mão que procuro
Que sonhar é pra todo mundo
E não apenas para quem ama em profundo

Pois amar é fantasia
A paixão semente vazia
E que a vida é que tem mais valia

Sei que nada sei
Pois um dia pensei

Que o amor pudesse ser muito mais que mera fantasia
O castigo por ter acreditado que com amor a vida não era vazia.


16 comentários:

  1. Olá amigo
    Achei seu poema belo, porém pessimista. Não podemos desacreditar no amor, senão deixaremos de acreditar na via.
    Tenha um ótimo fim de semana
    Abração

    ResponderExcluir
  2. Todos os teus poemas trazem sempre uma belíssima e válida reflexão. Essa roda gigante, que ao final simboliza a vida, somente gira movida ao amor, amor nem sempre reconhecido, visível, crível, mas ali, sempre, sempre, por menos que o vejamos. Gostei da sua volta. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Da mesma maneira que essa roda gigante sobe e desce, assim é o amor, meu amigo! uma hora vc estará lá em cima, no maior love, vc vai ver!
    bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Hamilton!
    O amor está em tudo...
    Abraço e muita paz!

    ResponderExcluir
  5. Rodas gigantes me atraem e o amor e amar é assim: Não há perfeição . O momento é agora n importando se estamos descendo ou lá no alto dessa roda!
    Acredite e siga!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  6. Seu poema ficou lindo, você tem um dom para isso já deve saber.
    Esse em especial mexeu muito comigo por tratar o amor de uma forma ao mesmo tempo pessimista e esperançosa de com ele encontrar um caminho para se seguir de mãos dadas...
    Perfeito *---*



    ;*

    ResponderExcluir
  7. Meu amigo querido:
    Engraçado como os escritos do passado ás vezes são como lágrimas perdidas na chuva...
    TERNURAS
    SEMPRE
    Espero que isto não seja um adeus seu a este espaço...

    ResponderExcluir
  8. Ei Hamilton!

    Porque você é nosso seguidor viemos te contar uma novidade. Pela primeira vez estamos sorteando um livro digital!

    Você pode se inscrever até terça-feira para ganhar o livro "Equilíbrio - a vida não faz acordos" Ele já foi um sucesso na versão impressa e agora promete o mesmo no digital.

    O sorteio será feito em NY especialmente para o "O que elas estão lendo!?"

    O link para participar está no topo da barra lateral direita do blog!

    Participe e boa sorte! Adoramos essa idéia de amor e uma roda-gigante.

    Equipe "O que elas estão lendo!?"

    ResponderExcluir
  9. Imagem e poema em perfeita sinergia, envolventes e belíssimos!!

    Há, eu que tive o privilégio de ouví-lo pude encantar-me por dois lados, ambos atrativos e entorpecentes.

    O amor é uma relação paradoxal: o sentimento que pode nos matar também pode nos salvar, e isso vai depender das variáveis com as quais relacionamos ou condicionamos a ele... Por outro lado, a escrita nos abre novas perspectivas de vida (nos salva, sempre, sempre), não pela necessidade de demonstrar a legitimidade do que propõe, mas ao contrário, como escreveu Nietzsche, "o que precisa ser demonstrado para ser acreditável não vale grande coisa". É desse valor que tendo dizer, dessa salvação com a qual sentimos quando nos iniciamos na arte de sofrer bem e com classe, sem ser necessário ser demonstrado nada, apenas o desnecessário e profundamente belo (como um amor bom)!

    E claro, delirei com a analogia da roda gigante, no sentido já explicado pelos colegas Alexandre e Márcia.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  10. Ola meu anjo amigo!
    Saudades daqui!

    Muito envolvente o seu poema!

    Seja como uma roda gigante sim,com subidas e descidas mas mantenha-se firme e nao desacredite no amor!Ele,apesar dos altos e baixos é peça fundamental na nossa vida!
    Acredito tambem que ele seja o principal motivo das suas palavras sairem assim tao belas quanto naturais!Tal como quem respira!

    Beijo imenso!

    ResponderExcluir
  11. Oi, amigo1 Ainda acredito no amor... espero-o... Um dia... ** Uma bela noite a ti.

    ResponderExcluir
  12. Amar a vida...eu já amei hoje nem sei o que sinto nesta vida, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  13. Feliz por ter voltado. Senti sua falta.

    Beejo e boa semana ta?

    ResponderExcluir
  14. Olá Hamilton!
    Saudades de ti.
    O amor é a essência da vida. Ele vai e vem. Nada é permanente. Lindo poema, como sempre, mas meio down. Bjssssss

    ResponderExcluir
  15. Venho mui carinhosamente agradecer o seu carinho em estar sempre comigo. Muito obrigada pelo seu afeto.

    O maor é sublime e perfeito. só ele é capaz de nós tornar Pessoas muito melhor que somos.

    Um grande abraço para ti.
    Sandra

    ResponderExcluir
  16. AGORA ALÉM DE SEGUIR VC TBÉM ESTÁ NA MINHA GALERIA.
    UM GRANDE ABRAÇO.
    SANDRA

    ResponderExcluir

LinkWithin

Web Analytics