"Selos Recebidos"

domingo, 12 de junho de 2011

"Menino"


A menino que fora em infância tão desinibido.
Demonstrava afeto ao toque, em seu abraço sem retoque.
Gostava das mãos dadas, como se elas propiciassem segurança a quem dava.
A menino que se espelhou nos grandes amores.
Deu sentido ao sentido próprio, admirado pelos romances aos redores.
Hoje o menino de outrora que de menino guarda apenas o sonho.
Sonha com o amor desinteressado aquele que deixa o dia risonho.
O menino que na adolescência provou da indolência.
Sofreu diante a indiferença, e sangrou sem sangrar deixando o amor em sonolência.
Guardou dentro do peito, sentimento sedento.
Que apenas observava como na vida o amor perdera seu belo intento.
Verteu lágrimas ainda antes de desfrutar do amor.
Prometeu não sentir mais nada, diante de tanta dor.
E o menino crente que na adolescência se permitiu descrente.
Tornara se homem, e somente agora crê no amor e em sua semente.
Aquela plantada em tenra idade, que tivera seus frutos secos ainda em puberdade.
Que hoje após tantos anos, cresce dentro do peito apaixonado em plena liberdade.
A menino que perdera sua fé no amor com tão pouca idade.
Hoje homem, desfruta do amor os frutos mais sulcados e também sua ansiedade.
Anseia feito criança pequena, e como criança demonstra sem fazer cena.
Linda mulher dos olhos claros e cabelos anelados.
Deu a este homem o sabor do amor, que em tenra idade fora amputado.
Doce dama que dança nesta mente, fez enfim dar frutos a uma antiga semente.  
Obrigado por salvar aquilo que de alma alguma devia se fazer perdido.
Obrigado por salvar a alma e o coração deste ainda menino.

"Quando o amor é anunciado, volta-se a ser criança. 
Este sim deveria ser nosso legado"






3 comentários:

  1. Gostei bastante do Blog.
    Muito interessante !

    É bom ver a cada dia que passa mais originalidade nessa "blogosfera". :)

    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir..;
    http://bolgdoano.blogspot.com/

    Muito Obrigada, desde já !

    ResponderExcluir
  2. Disse Nelson Rodrigues: "Sou um menino que vê o amor pelo buraco da fechadura, e o buraco da fechadura é minha óptica de ficcionista" vejo aqui também outro menino que vê o amor pelo buraco da fechadura, sempre viu, mas por muitas vezes se decepcionou e quis deixar de olhar o buraco da fechadura, mas não conseguiu, pois ele é grande e transcendental, não consegue ser sozinho, precisa dividir toda a sua sensibilidade, lirismo e poesia com alguém, eis que surge a doce dama que dança em sua mente, que faz com que esse menino volte a ser menino, e olhe o buraco da fechadura.
    Texto lindo, gosto muito de sua sensibilidade, e em alguns momentos me identifiquei com suas palavras muito bom mesmo.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Web Analytics