"Selos Recebidos"

quarta-feira, 21 de julho de 2010

"Partida"



Sou feito inteiro às metades
Sou fragmentos espalhados em verdades

Sou temente valente, que enfrenta uma tormenta
Mas sem subjugar seu poder que a muitos atormenta

Não nasci para ser entendido
Pois por mim, sou incompreendido

No entanto, não faça de minhas verdades
Parte de suas mentiras infindáveis

Não tenho o amor como meia verdade
Antes das palavras tenho os sentidos em realidade

Se proferi lhe amar, foi por antes me apaixonar
Mas calei a paixão com receio de vê-la se afastar

Quando lhe amei, permiti a cada dia ser minha paixão
Mas quando amei, amei cedo demais o que fora ilusão

E neste compasso que se segue a vida
Ainda guardo lembranças de época querida

Siga teu caminho, doce e estimada amiga
Da vida duas certezas: a vida finda, mas o amor nunca termina

O amor renasce diante do que fora sua opção
Pois com sua partida permanece ainda vivo este coração



19 comentários:

  1. O amor é eterno, paz.
    Beijo Lisette

    ResponderExcluir
  2. O amor sempre vence!
    Beijo e saudade !

    ResponderExcluir
  3. Mesmo com a partida de quem amamos, nosso coração renasce das cinzas a espera de um novo amor.
    O verdadeiro amor nunca morre.
    Tenha uma ótima noite de sono.
    Com carinho, Lady.

    ResponderExcluir
  4. Independente das partidas, as lembranças, as emoções vividas ficam na memória. Tudo depende do quanto nos envolvemos nas histórias... é a vida. Amigos, amantes, amores, laços, todos laços que construímos no decorrer da vida... Emotivos que somos, sem eles não vivemos.

    PS: adoro essa música, fechou perfeitamente com o poema. Lindo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Achei tão triste esse poema mas ao mesmo tempo tao bem escrito e tão belo mas não deixe que as lembranças do passado te impeçam de acreditar no amor e em novos amores.

    E muito obrigada pelo seu comentário e por todo o apoio que sempre me oferece através de suas palavras!

    ResponderExcluir
  6. Um coração vivo e repleto de bons sentimentos! Beijos no seu coração, Hamilton!! ;)

    ResponderExcluir
  7. Nossa, Hamilton

    Triste, mas muito bela "Partida". O amor sempre renasce e o carinho há de permanecer.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  8. Vivo e batendo. Aqui comigo alguém partiu, meu coração continua vivo e batendo, e as batidas doem TANTO que as vezes grito sozinha, as vezes desejo que ele pare de bater, ou pelo menos, bata mais leve, mais suave.

    (OK, não desejo que ele pare de bater, nunca desejaria isso, mas se ele batesse mais suavemente dentro do meu peito, seria melhor. HAHA)

    Beijo, gostei daqui.

    Se puder, dê uma vista em meu blog, se gostar de algo... Até.

    ResponderExcluir
  9. Sem o amor não seriamos nada...
    bjuuu
    >)
    estarei sempre por aki.

    ResponderExcluir
  10. Muito triste o poema. (Mas claro que extremamente lindo). Como tdo o que vc escreve, profundamente tocante e cheio de sentimento.

    Vc começou o processo do adeus. Assim pouco a pouco o coração acha lugar novo para alguém.

    ResponderExcluir
  11. Oi Hamilton,

    lindo, lindo, oque escreveste
    "Da vida duas certezas: a vida finda, mas o amor nunca termina"
    Não tenho duvida. Leu o meu post "metade"?

    Beijos meu

    ResponderExcluir
  12. Achei leve... e real.

    Dá para sentir uma abertura da alma e a compreensão de que o amor é muito mais do que eterno, é livre e complexo!!

    Uma complexidade tamanha que não exige entendimento. O que restaria além de sentí-lo? Como escreveu Clarice "Viver ultrapassa todo entendimento".

    Mas como vivê-lo se já se foi ou ainda não chegou? Se o que sentimos parece não ser mais ou nunca ter sido. Por encontrarmos assim perdidos e desiludirmos por inteiro, resta saber que o amor verdadeiro é o amor impossível e que não existe!!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  13. Mesmo com a partida, o coração ainda ali firme, vivo, disposto a pulsar mais forte ainda, mais claro, dar pulos mil por um novo sentimento, um novo respirar, uma nova razão para todo dia mais viver! As partidas nos mostram o que deve permanecer, pq tudo o que vai não volta, e se voltar é pq é e sempre será nosso!
    Um beijo da Ju

    ResponderExcluir
  14. Kra... esse acho q foi dos poemas mais tristes seus q jah li, apesar de lindo.
    Mas no fundo, ele parece haver uma certa abertura positiva, de alguem q finalmente tah conseguindo, gradualmente (soh gradualmente conseguimos coisas grandiosas) de deixar o passado pra tras e recomecar uma nova vida, quem sabe um novo amor.
    Q ele venha logo ao teu encontro e, se naum veio, eh pq penso q talvez VC ainda naum esteja preparado, mas qndo estiver, vejo q jah esta se preparando.
    Naum sei, por mais triste q seja este poema... eu senti um positivismo nele. Estranho isso, concorda?
    Abracos

    ResponderExcluir
  15. Muito querido amigo:
    Bom voltar aqui e encontrar um texto seu! A vida é isso...uma sucessão de encontros e desencontros, chegadas e partidas, amores e desamores, tudo debaixo do olhar irónico dos deuses.
    Mas esta "Partida" deu para sentir algo de novo dentro de vc...a capacidade para acenar um adeus, ainda que dorido...
    E os deuses...estão com vc! Eu pedi a eles!
    TERNURASSSSSSSS
    CARINHOS
    Adoro vc!

    ResponderExcluir
  16. oi,

    Saudades de voce, moço.

    Eu em novo espaço, te espero lá ta?

    beejo

    ResponderExcluir
  17. É verdade o amor nunca termina! A partida só termina com a chegada... que às vezes não chega... e a vida continua nesse bater de coração!

    Muito bonito e profundo!
    Gostei!

    Abraço

    ResponderExcluir

LinkWithin

Web Analytics